Serlingpa → Atiśa → Dromtönpa → Potowa → Sharawa → Chekawa

Serlingpa (Dharmakirti de Suvarnadvipa)

Serlingpa

O Treinamento da Mente em Sete Pontos baseia-se nas instruções recebidas por Serlingpa, que por sua vez se baseiam na seguinte afirmação do texto Teachings of Vimalakīrti:

“A visão [egoísta] do composto perecível é a semente do tathāgata” [1].

Assim como uma flor de lótus cresce, não do solo, mas do lodo, da mesma maneira, a  mente do despertar [2] não nasce no coração de discípulos em quem a umidade do apego tiver secado. Ao contrário, ela cresce no coração de seres sencientes comuns que possuem todos os grilhões da escravidão. Portanto, na dependência da fixação ao eu, é possível cultivar a mente do despertar que troca o eu pelo outro, que constitui a causa incomum do atingimento da iluminação. A própria fixação ao eu é, portanto, a coluna dorsal de todos os budas.

[1] “Composto perecível” refere-se ao conjunto dos cinco agregados – forma, sentimento, discriminação, formação mental e consciência – que constituem a existência de uma pessoa.
[2] Espírito do despertar ou bodicita, na linguagem do Lama Alan Wallace

 

Atiśa Dipamkara (982-1054)

Conta-se que Atiśa atravessou o mar até a ilha indonesiana de Sumatra, buscando instruções sobre o Treinamento da Mente de Serlingpa. Foi dele que Atiśa recebeu instruções profundas sobre as técnicas de “igualar e trocar o eu pelos outros”, disciplina que se destina a transformar radicalmente os pensamentos, preconceitos e hábitos de auto-centramento em um altruísmo centrado no outro. Ao longo de sua vida, sempre que Atiśa pronunciava o nome de seu mestre, Serlingpa, em sua homenagem, ele instintivamente juntava as mãos em prece com lágriams nos olhos. Atiśa dizia, “A pouca afetuosidade que tenho no coração se deve à bondade do meu mestre Serlingpa. Por causa disso, minha linhagem é dotada de bênçãos.”

Isso nos dá a dimensão da gratidão de Atiśa por ter recebido instruções sobre o Treinamento da Mente. Atiśa permaneceu com Serlingpa durante 12 anos recebendo os ensinamentos de Lojong.[3]

[3] Fonte: Thupten Jinpa, Essential Mind Training

 

Dromtönpa Gyalwé Jungné (1004/5-1064)

 

Principal discípulo de Atiśa.

 

 

 

 

 

 

 

Potowa Rinchen Sal (1027-1105)

 

Um dos três principais discípulos de Dromtönpa

 

 

 

 

 

 

 

Sharawa Yönten Drak (1070-1141)

 

Chekawa Yeshe Dorje (1101-1175)

Chekawa é considerado o compilador do Treinamento da Mente em Sete Pontos, já que o conteúdo é atribuído a Atiśa. A busca de Chekawa começou por ter ficado intrigado ao ouvir a estrofe dos Oito Versos que Transformam a Mente, “possa eu tomar para mim a derrota e oferecer aos outros a vitória.” Ao ouvir esse verso, Chekawa partiu em busca do ensinamento completo e de sua fonte. Essa busca levou- o ao Monastério de Sharawa, onde certo dia encontrou o mestre ciurcumambulando uma estupa. Esticando seu manto no chão, Chekawa pediu a Sharawa para sentar-se para que pudesse receber instruções. Assim Chekawa começou a descobrir as instruções do Treinamento da Mente, que mais tarde seriam apresentadas na forma do Treinamento da Mente em Sete Pontos.